Mitos sobre colchões


Uma indústria dinâmica e concorrida como a de colchões acaba produzindo muita informação que pode não ser propriamente a mais exata ou isenta. No afã de vender mais, publicitários podem abusar de frases de efeitos, termos pomposos, e o leigo tende a ficar confuso, sem saber o que realmente considerar para decidir a compra de um colchão.

É natural do ser humano, também, dar mais credibilidade a quaisquer termos rebuscados e aparentemente técnicos do que a informações simples e diretas. Este comportamento favorece a disseminação das lendas e mitos sobre os colchões.

Para tentar diminuir a confusão, compilamos uma lista com alguns dos principais mitos e lendas sobre colchões.

Preço

Esta talvez seja a questão mais controversa de todas as que envolvem a compra de um colchão: não necessariamente um colchão muito caro vai ser o melhor, como também não necessariamente um colchão bom vai ter que custar caro. Tudo depende do biotipo do usuário, e o grau de luxo que se pretende.

Bom senso é fundamental, pois é certo que os fabricantes vão sempre aumentar sua margem de lucro nos modelos topo de linha (ou “linha alta”), e vão apertar as margens devido à maior concorrência nos modelos mais populares (ou “linha baixa”).

Um modelo intermediário de colchão pode representar uma melhor compra, caso seja uma escolha consciente.

Os estudos de Linus Pauling

Llinus Pauling (Portland, 28 de Fevereiro de 1901 — Big Sur, 19 de Agosto de 1994)

É muito comum entre os criadores de boatos atribuir suas teorias estapafúrdias a estudiosos renomados, para emprestar deles alguma credibilidade. Caso seja um pesquisador já falecido mas um nome extremamente conhecido no meio da Física, tanto melhor.

Alguns vendedores de colchão de espuma, na tentativa de desmerecer os colchões de mola, criaram uma teoria de que o metal das molas afeta o campo magnético natural do corpo.

De fato, tirando-se a mesma informação copiada e colada à exaustão em sites de conteúdo duvidoso ou tendenciosos, não há informação que dê conta destes supostos malefícios dos colchões de mola à saúde humana.

Além disso, posso dizer pessoalmente: sou profissional da área há muitos anos, já passei por reiterados treinamentos e atualizações, e nunca em meu meio profissional ouvi falar de tais “pesquisas”.

Os “milagrosos” colchões magnéticos

A esse respeito, aconselhamos a leitura do texto Colchões Magnéticos ou Bioquânticos.

Colchão para gordo

Devido aos processos de fabricação principalmente das espumas utilizadas nos colchões, não se conhece nenhum colchão com suporte de peso superior a 150kg.

Infelizmente para os portadores de obesidade mórbida, pela razão explicada acima, não se tem notícia de, no mercado, nenhum fabricante que ateste que seu produto suporta acima de 150kg.

A sugestão para os mais pesados é que adquiram o melhor colchão que puderem, e que estejam preparados para que a vida útil deste seja bastante reduzida. O que para uma pessoa dita “normal” pode durar de cinco a dez anos (e não falamos aqui de validade e garantia de colchões) para uma outra, portadora de sobrepeso, poderá durar apenas a metade.

Falando-se de colchões de molas, recomenda-se aos obesos que procurem sempre colchões com 30cm ou mais de altura, para que a vida útil do colchão seja aproveitada ao máximo possível.

Fabricante

Outra das lendas em que as pessoas acreditam, contaminadas pela propaganda massiva, é que fabricantes conhecidos sempre terão produtos de alta qualidade. Muita propaganda significa apenas um alto orçamento para publicidade. Não é raro vermos fabricantes tradicionais, com mais de 50 anos de atividade, serem rotulados de “desconhecidos” apenas por não terem uma política de anúncios tão agressiva.

Recomendamos que antes de acreditar em qualquer propaganda se faça uma pesquisa de satisfação entre conhecidos. Pergunte aos amigos, colegas de trabalho, vizinhos, se eles tiveram alguma experiência com o colchão da marca “tal”, e qual foi. Os resultados podem ser surpreendentes!

Garantia e validade

Estudos comprovam que após três a cinco anos de uso um colchão de espuma terá atingido o limite de sua vida útil. Três anos é, portanto, a garantia máxima da espuma de um colchão (para mais informações veja: Durabilidade, Validade e Garantia de Colchões).

Já no que diz respeito ao sistema de molas as coisas são diferentes. Uma mola pode durar até cinquenta anos ou mais, pois normalmente são forjadas em aço carbonado.

Assim, quando um fabricante fala em garantia acima de três anos (é muito comum o “papo de vendedor” incluir dez anos, quinze anos) está se referindo, com certeza, apenas a algum componente do colchão, e não ao conjunto todo.

Destarte, é correto concluir que a validade de um colchão será igual à menor garantia de seus componentes individuais, normalmente à da espuma.

Suporte e Carga

Sempre que se fala em espuma, pensamos em densidade real, que vem a ser a espuma de mais alta qualidade.

Na busca por custos mais baixos, para atender um mercado cada vez mais sedento por produtos baratos, os fabricantes podem incluir outras substâncias (chamadas de “carga”) na fórmula da espuma (ver: Como se calcula a densidade de um colchão de espuma).

Normalmente os colchões que não são de densidade real apresentam os prefixos S ou C no lugar do D, e podem chegar até a S70 (ou C70). Espumas de densidade real não vão além, por questões de física e química, de D45 ou HR50.

Atualização: o mercado agora dispõe de espumas da nova tecnologia HR (High Resilience, ou alta resiliência), que com sua formulação química mais moderna resulta num colchão de melhor qualidade.

Por definição, espumas com carga são inferiores às espumas de densidade real, e sua durabilidade é bastante reduzida, e suas garantias também.

Há que se prestar atenção também no fato de alguns fabricantes não usarem nem S e nem C, e venderem colchões de espuma com carga rotulados como D.

Atualização: a sugestão que damos é de preferir sempre colchões certificados pelo INMETRO.

Colchão ortopédico

Há um mito ainda muito difundido de que colchões ortopédicos são colchões duros.

Há inclusive quem procure por colchões com caixa de madeira como se fossem ortopédicos. Estudos médicos recentes levam à conclusão de que esses colchões são, na verdade, prejudiciais à saúde da pessoa.

É um erro gravíssimo associar colchões duros à função ortopédica, que só será obtida combinando o colchão correto com o biotipo do usuário. Ortopédico é algo que se molda, adaptando-se ao corpo.

Para saber mais, leia o texto: o que é um colchão ortopédico.

Espuma da Nasa

Dentre os muitos modismos que a propaganda cria, podemos destacar a “espuma da Nasa”, apelido com que se popularizou a espuma viscoelástica.

Muita gente acha que a espuma viscoelástica (“visco” para os mais íntimos) é o supra-sumo do conforto. Porém, não se pode exagerar.

Para começar, a resiliência (capacidade de um corpo de voltar à sua forma original após sofrer pressão) da espuma viscoelástica é muito baixa. Só por isso já se depreende que uma camada muito espessa de viscoelástico acabaria virando um buraco quando uma pessoa se deitasse sobre ela.

Ou seja, morre o mito de que colchões inteiros feitos de viscoelástico sejam confortáveis ou mesmo ortopédicos (ver a seção acima).

Uma simples camada junto ao bordado do tampo do colchão é suficiente para dar o conforto necessário ou esperado. A espuma viscoelástica foi criada para absorver impacto, e não para prover conforto.

Brindes

Um dos artifícios que o comércio usa para fazer vendas casadas é oferecer um produto de brinde na compra de outro.

Na verdade, quando uma loja oferece travesseiros, lençois, capas de colchão, saias de box ou qualquer outra coisa de brinde, na verdade o preço destes já está embutido no preço de venda do colchão. Caso não necessite do produto que está sendo ofertado, negocie para que o vendedor tire do preço de venda do colchão o valor referente ao “brinde”.

Tratamento antifungos, antiácaros e outros

Quando os colchões novos saem de fábrica, normalmente contam com o benefício de tratamentos químicos contra fungos, ácaros, mofo, etc.

Infelizmente estes não duram tanto quanto o colchão. Os produtos químicos utilizados nestes tratamentos têm uma validade tal como a dedetização de uma casa, por exemplo. Normalmente a durabilidade deles será de aproximadamente seis meses, oscilando sob a ação de variáveis externas (como umidade, temperatura, etc).

Conclusão

Esperamos ter podido contribuir para que alguns enganos comuns em que as pessoas acreditam, e que possam afetá-las negativamente na escolha de um colchão, tenham sido esclarecidos.

63 comentários

  • Qual a durabilidade de um colchão? | Meu Colchão:

    […] sobre durabilidade de um colchão, veja os textos durabilidade, validade e garantia de Colchões e Mitos sobre Colchões.Atenção: o texto acima ampara-se no direito fundamental à manifestação do pensamento, previsto […]

    Responder
  • aline:

    OLÁ!
    QUERO COMPRAR UM COLCHÃO E ESTOU EM DÚVIDAS ,SE COMPRO O COLCHÃO DE MOLA OU DE ESPUMA.QUAL SERIA O MELHOR?
    TENHO 1,51 M DE ALTURA E 48KG,JÁ MEU MARIDO TEM MAIS OU MENOS 1,75M DE ALTURA E 75 A 80 KG.
    DESDE JÁ AGRADEÇO!

    Responder
    • Elvis:

      Aline.

      Vá com seu marido a uma loja e experimentem os colchões de molas e de espuma, e aquele que vocês dois gostarem, que esteja dentro de seu orçamento e seja adequado ao seu biotipo, será o colchão ideal.

      Percepção de conforto é algo muito pessoal, é impossível de “adivinhar” qual vai ser o seu gosto.

      Responder
  • Fernando Henrique da Cruz:

    Muitissimo obrigado, Elvis, pelos esclarecimentos. Realmente estava em dúvida sobre qual colchão comprar. Tenho sobrepeso e altura, possuo 1,90 e 150 kg, então cada um fala uma coisa… mas estou decidido em comprar um colchão de molas, com 30 cm e revestimento de fibra de bambu da Probel. Não sei se esse será o melhor negócio, mas gostei das especificações do produto e achei bastante confortável.

    Obrigado e forte abraço… parabéns pela iniciativa de compartilhar seus conhecimentos conosco!

    Responder
    • Elvis:

      Fernando.

      Seu raciocínio está correto, sua decisão é acertada, e melhor ainda se o colchão for de mola ensacada.

      Responder
  • adriana alves:

    gostaria apenas de deixar meu agradecimento profundo e dizer ki o site me foi de grande valia para compra de meu primeiro colchão! Kem déra se todos tivessem acesso a essas informações ki valem ouro no momento de se comprar um colchão! A todos vcs ki são responsáveis pelo site meu muito obrigado! Vcs são show de bola! Parabéns!

    Responder
    • Elvis:

      Adriana.

      Obrigado pelas suas palavras de reconhecimento. Ficamos felizes que nossas informações tenham te ajudado a fazer uma boa compra. Este é o nosso propósito.

      Responder
  • Glaucia:

    “Há que se prestar atenção também no fato de alguns fabricantes não usarem nem S e nem C, e venderem colchões de espuma com carga rotulados como D.”

    Como saber na hora da compra se um determinado colchão é um fake (feito de espuma com carga mas rotulado com D), tem como ?

    Responder
    • Elvis:

      Glaucia.

      A resposta à sua pergunta, resumidamente, é: pela garantia.

      Um colchão de densidade real terá 3 anos de garantia, enquanto que um “fake” terá no máximo um ano, isso quando não for apenas a garantia mínima prevista em lei de três meses.

      Responder
  • Carlos Eduardo:

    Comprei um colchão pela internet e tudo estava conforme até descobrir que a data de fabricação dele foi em 19/10/2010 e a compra foi efetuada em 10/05/2011. Quais as implicações disso, principalmente no que diz respeito a validade do tratamento antiacaro?

    Responder
    • Elvis:

      Nenhuma implicação, pois o colchão estava — presumo — em sua embalagem original, garantindo assim sua conservação.

      Quanto à validade e garantia, estas passam a contar a partir da data da compra.

      Responder
  • Pamela Mendonça:

    Boa tarde, vou me mudar e na minha casa nova tem uma escada caracol para o quarto e tbm tem a janela. Sei que a cama box desmonta a parte de baixo, mas e o colchão será que dobra? Ou terei que deixar a cama box e comprar uma comum mesmo?
    Obrigada

    Responder
    • Elvis:

      Pamela.

      Tente passar seu colchão pela janela, ou de alguma outra forma.

      De qualquer forma, nunca dobre o colchão, você vai destruí-lo, não importa se de mola ou de espuma.

      Responder
  • marcela:

    Olá Elvis. Maravilhosos os esclarecimentos.

    Estou na seguinte situação. Comprei uma cama box com um colchão soft bambu. Esse colchão não pode ser virado, mas apenas girado. Em razão disso, o colchão está afundado, tanto do meu lado como de meu marido. Girar o colchão não está mais sendo suficiente, pois o afundamento é bem no meio. Vc comenta que na sua opinião o colchao de mola é o melhor. Ele pode ser virado?? Estou pensando em comprar um colchao de espuma, que pode ser virado e girado periodicamente. O que vc acha??

    Responder
    • Elvis:

      Marcela.

      Se o seu colchão estiver na garantia, acione o fabricante e peça assistência.

      Os colchões “no turn”, ou seja, os que não precisam ser virados, são fabricados para este fim. Não há nada que implique que o colchão “no turn” seja inferior a um passível de ser virado.

      Responder
  • glaucia:

    comentei aqui 9 meses atrás e até hoje não consegui comprar meu colchão. Embora nesse tempo todo eu tenha pesquisado e lido bastante a respeito, continuo com dúvidas,voltando assim na estaca zero principalmente por causa da diferença de peso entre eu e meu esposo. Então gostaria de saber se poderia nos ajudar; queremos saber qual opção de colchão melhor para nós, eu tenho 1,72m alt e 130kg e meu esposo tem 1,70m alt e 77kg. A dúvida surgiu de perceber que um colchão de molas (mesmo pocket, etc) demandaria sugestão de troca do mesmo por conta do maior peso (no caso o meu), isso confere? Outra dúvida é sobre essa diferença de peso, no caso da sua orientação de opção for por molas, meu esposo ainda sim poderia sofrer desconforto ao longo do tempo por conta das diferentes indicações de densidade, digo isso porque ao comprar um colchão de molas, olhariamos o maior peso (o meu), com isso não afetaria ele no que diz respeito a qualidade de sono, etc?
    objetivamente o que queremos saber é se vale mais a pena investir num colchão de espuma e trocá-lo daqui a tres anos ou investir num de molas (que por conta do meu peso é muiiiiiiiiiiiito mais caro) e arriscar que ele não será prejudicado fisicamente, vamos dizer. Pra complicar a situação, devido ao local onde moramos, meu filho de 17kg dorme com a gente (estou incluindo essa informação para que ciente de todo caso, nos ajude na escolha).Desde já, obrigada!

    Responder
    • Elvis:

      Mesmo havendo essa diferença de peso entre os dois, o que importa é que o colchão tenha suporte para a pessoa de maior peso. Não existe “limite mínimo” para o colchão, portanto seu marido não será prejudicado por dormir no mesmo colchão que tenha suporte de peso para você.

      Se eu fosse você, compraria um colchão de molas pocket, acima de 28cm de altura, sem esquecer de você e seu marido irem à loja e experimentarem o colchão antes de comprar, para ver se vocês se adaptam.

      Responder
  • pedro paulo bramont:

    Comprei um colchão e não tirei o plástico original da embalagem.
    Uso o colchão novo (com o plástico original da embalagem) sobre o chão e, em cima deste, uso um outro colchão, antigo.
    Pra mim está bom assim, o plástico não faz barulho e o colchão antigo “não sua”.
    Algumas pessoas me disseram que usar o colchão assim (com o plástico original da embalagem) estraga o colchão.

    Só não entendo pq, pois o plástico é resistente e não deixa passar umidade para o colchão novo.

    Obrigado!

    Não consigo entender essa lógica.

    Responder
    • Elvis:

      Amigo.

      O colchão tem sua umidade natural, proveniente do processo de fabricação, do ambiente, etc.

      Colchões são feitos para usar sobre camas, não sobre o chão direto, nem sob outros colchões. O colchão precisa “respirar”, ou a umidade natural de que falei acima pode ocasionar fungos e consequentemente mau cheiro.

      Além do mais, a prática que você descreve caracteriza mau uso do colchão, e caso precise de garantia o fabricante com certeza não efetuará nenhuma troca.

      Responder
  • glaucia:

    obrigada pela orientação Elvis, vamos considerar sua dica com certeza! vlw!

    Responder
  • Nathália Carina:

    Estou com um dúvida! Preciso comprar um colchão e tentando ajustar qualidade ao meu bolso (que não anda lá essas coisas ultimamente) me deparei com algumas questões. Encontrei um colchão acessivel que diz ser: de molas bonnel com pillotop e um revestimento de espuma D33. Diz que suporta até 80 kg. tenho 62 kg e meu marido acho que está pesando pouco mais de 80 kg (não sei ao certo acho que é 82 ou 83). Com essas descrições dá pra se dizer que vale a pena? É ideal para nossos biotipos? essa combinação de molas com espuma é boa?

    Enfim, espero que possa me responder o mais breve possivel pois meu atual colchão está um Deus nos acuda!

    obrigada.

    Responder
    • Elvis:

      As informações que você passou são meio escassas, mas a princípio podemos identificar que não se trata de um produto de alta qualidade. Verifique a garantia do colchão, que será sua validade (para mais detalhes veja Durabilidade, validade e garantia de colchões), bem como experimente bastante o colchão, na companhia de seu marido, para ver se realmente é isso que você quer.

      Responder
  • Erica:

    Boa noite! Gostei desse site, é bem esclarecedor. Gosataria de saber , aproveitando sua experiência no assunto, o seguinte: comprei um colhão de molas ensacadas de 26 cm da marca orthoflex orvieto spring. Nunca tinha ouvido falar dessa marca mas o vendedor de uma loja em que sempre compro disse que o mesmo era muito bom, que vendiam faz tempo e que não tinham reclamação do mesmo. Ocorre que em pouco tempo, digo questão de semanas, senti um degrau no colchão. Reclamei na loja e o vendedor, que dizia fazer a assistencia técnica do colchao foi em casa e disse que aquilo era normal e que meu corpo se adaptaria ao colchão. O colchão tinha apenas um ano de garantia. este prazo já passou, faz um ano e tres meses que comprei ele, agora nos ultimos tempos estamos acordando, eu e meu marido, com o corpo todo dolorido. a minha dúvida é: pode um colchão com toda essas caracteristicas, durar tão pouco? a garantia de um ano significa que a cada ano terei que trocar meu colchão? Ou comprei um colchão de tão péssima qualidade assim? passei cerca de R$750,00 na época.

    Responder
    • Elvis:

      Erica.

      Quanto maiores a altura e a garantia de um colchão, maior sua qualidade. Um ano é a garantia mínima para um colchão de molas. A validade de um colchão é definida pelo prazo de sua garantia.

      Sugiro que em sua próxima compra procure o melhor custo x benefício em relação à garantia do colchão, em vez de considerar apenas o preço.

      Responder
  • Josiane:

    Estou atordoada, com as várias indicações de colchão, que cada site, loja física, e marca indica para gente. E não sentimos diferença alguma em testar na loja o colchão novo. Não vejo diferença. A diferença é na prática, que até hoje (quase 10 anos juntos) não conseguimos um colchão que durasse conforme a garantia. Tenho 70kg, 1,56, e já fiz cirurgia de hernia de disco na coluna, ou seja, coluna complicada e ainda problemas de insonia…. E meu esposo, tem 130kg, 1,90, também com alguns problemas de coluna, ainda não precisou operar, e apneia do sono. Cada loja/marca sugere alguma coisa: mola ensacada, mola LFK, colchão com D45 e cobertura de latex, colchão de latex, viscoelástico (nasa), pilow top com “x” cm (cd um fala uma coisa tb…. enfim… só quremos um colchão que dure realmente a garantia indicada, que aguente de verdade até 150kg, e não só no texto (como foram os últimos que compramos), que cumpra o tempo da garantia. Na sua opinião, teria algum modelo, sugestão para esse caso? Dentre as marcas: Flex, Simons, Ortocrin, Ortobom, Castor… são muitas, várias… tá osso… Agradecemos profundamente sua opinião. OBrigada!!!

    Responder
    • Elvis:

      Josiane.

      Pela diferença de peso entre vocês, não haverá um colchão de espuma adequado ao casal, a não ser que durmam em camas separadas: para seu marido o mínimo deveria ser um D45, e para você no máximo um D33.

      Se quiserem partir para mola, aconselho um colchão de mola ensacada, com no mínimo 27cm de altura e cuja camada de conforto (viscoelástico ou látex) seja adequada ao seu bolso. O importante mesmo é a estrutura de molas, e a espuma de base, que tem que ser D33 ou no máximo D45, pois formam a estrutura ortopédica do colchão; o restante dos componentes serve apenas para prover conforto e dar um toque mais agradável ao tato.

      Quanto às marcas, não faz parte da proposta do site fazer nenhuma indicação de marcas e modelos. Espero que compreenda.

      Responder
  • Kelly:

    Olá Elvis,

    Preciso da sua ajuda.

    Estou querendo comprar um colchão de molas pocket (ensacadas individualmente), mas tenho lido tantas reclamações no site reclame aqui que estou apavorada. Muitos dizem que os colchões deformaram.

    Estou chegando a conclusão de que nenhum colchão de mola presta.

    Minha dúvida era entre castor, orthocrin e sealy, mas todos tem muuuuitas reclamações.

    O que eu faço.

    Responder
    • Elvis:

      Kelly, todas as empresas vão ter reclamações, pois ninguém consegue agradar a todos.

      Você deve considerar os termos de garantia do fabricante e a assistência oferecida pelo lojista, e não ter reservas quanto a acioná-las caso seja necessário. Nenhum fabricante vai oferecer uma garantia que não esteja disposto a cumprir.

      Responder
  • Pedro:

    Olá…
    O meu interesse em querer comprar um colchão me levou a pesquisar algumas informações a respeito pra nao correr o risco de não me satisfazer com o produto, afinal trata-se de um investimento considerável e também de qualidade de vida. Pois bem… meu objetivo é adiquirir um colchão ortopedico e numa dessas pesquisas li a seguinte informação: “seu suporte é mais duro, porque há uma tábua de madeira entre as camadas de espuma”… essa informação procede? E por um acaso, seria essa a madeira q você chegou a se referir aqui mesmo em alguns comentários, citando inclusive que atualmente é condenada pela medicina legal?
    Desde já agradeço e parabenizo por disponibilizar informações tão úteis

    Responder
  • Richard:

    Elvis, parabéns pelo site!

    Colchão de molas ensacadas dão conta de deixar a coluna alinhada ao deitar nas mais variadas posições?

    Pergunto pois atualmente possuo um colchão de molas Bonnel que sinto não ser ideal pois não deixa a coluna alinhada, sendo que na região dos ombros ele não afunda o quanto deveria, deixando a coluna fazendo uma curva. Noto que do quadril até o meio das costas a coluna fica paralela ao colchão e, daí para frente, começa a subir. Sinto uma pressão incomoda nos ombros quando deito de lado. Tenho 1,76m e 83kg.

    Troco de posição inúmeras vezes tentando buscar o conforto adequado e, por esse motivo, não consigo ter o ciclo completo do sono, me deixando muito indisposto durante o dia, todos os dias, inclusive com dores nas costas.

    Lembro de ter lido a respeito de existir colchão que possui aréas com diferentes sustentações, sendo mais rígido na parte do quadril, mais macio nas pernas e um pouco menos rígido no tórax/ombros. Já ouviu falar deste tipo de colchão? Recomendaria?

    Até agora minha decisão está pendendo para um colchão de molas ensacadas com 32cm de altura e pillow top de viscoelástico para não dar aquela sensação de pressão nos ombros quando deitado de lado e ao mesmo tempo ser um pouco mais firme para não deixar o quadril afundar demais.

    Pensei até em comprar um com molas LFK para ser mais firme, mas tenho medo de ser firme demais.

    Responder
    • Elvis:

      Richard.

      Provavelmente seu colchão não tem uma espuma adequada, ou já está desgastado. Para o seu biotipo o colchão de molas Bonnel é bastante adequado.

      De qualquer forma, o colchão de molas ensacadas vai ser mais firme, e cumprirá melhor a função ortopédica.

      Enfim, a sugestão final é que você experimente todos os tipos de colchão antes de comprar, e fique com aquele que lhe proporcionar mais conforto.

      Responder
  • Patricia:

    Boa tarde, estou pesquisando muito para comprar um novo colchão, tenho 1,69m e 60 Kg e meu marido tem 1,78m e 146 kg. Comprei um colchão de de espuma a Nasa e ele está acabando não só com meu marido, mas comigo tb, não aguento de dor nas costas, ela “prende”o corpo na hora de virar e é nítido que na região onde ficam os corpos “afundou”. Já tive colchoes de molas que foram até mais ou menos (bem melhor que este). Qual o melhor colchão de molas devo comprar??? Quais os detalhes que devo observar. Obrigada

    Responder
    • Elvis:

      Patrícia.

      Pelo biotipo de seu marido, que por ser mais pesado é a base para uma sugestão para o casal, o ideal seria um colchão com molas ensacadas acima de 30cm de altura.

      O viscoelástico, nesse caso, deve ser apenas uma camada no bordado (2cm), para no seu caso, que é levinha, aumentar a percepção de conforto, e no caso do seu marido o viscoelástico absorverá o impacto do peso dele.

      Responder
  • Elvis:

    Ana, essa escolha é adequada para o biotipo do casal, e será um colchão muito confortável. O importante, como você já deve ter lido muitas vezes aqui, é que vocês experimentem o colchão antes de comprar, e só façam a aquisição daquele que propiciar conforto adequado ao casal.

    A altura recomendada é acima de 26cm.

    Responder
  • Elvis:

    O ideal seria uma cama de madeira, com estrado, daqueles modelos tradicionais.

    É importante para não criar mofo é que o quarto tome sol, e esteja sempre bem arejado.

    Responder
  • Fabiene:

    OLÁ,
    QUERO COMPRAR UM COLCHAO MAS, ESTOU INDECISA PEÇO Q ME AJUDE EU PENSEI NO ORTHOCRIM ,MOLAS POCKET, VISCO, EU PESO 65K E MEU MARIDO 73K, PEÇO Q ME AJUDE .BJS FABINE

    Responder
    • Elvis:

      Fabiene, não fazemos comentários acerca de marcas ou modelos de colchões. O que lhes for mais confortável, e tiver a melhor relação entre custo e benefício será o colchão ideal.

      Responder
  • Paulo Sergio:

    Tenho 43 anos, 1,80 de altura, 123kg e uma protusão discal. Quero comprar um colchão novo e estou em dúvida se o melhor seria um D-45 ou D-60. Enfim, qual o colchão ideal para mim?

    Responder
    • Elvis:

      Você deve consultar seu ortopedista, uma vez que você tem uma condição clínica bastante específica.

      Responder
  • Paulo Cesar:

    Bom dia…Tenho uma duvida apesar de ter lido todos esses posts…
    tenho 1,88 de altura e peso aprox 140kg. estou decidido a comprar um colçhão de molas pelos comentarios que eu li, me pareceram mais confortavéis! nesse caso devo comprar um colchão de molas essacadas e com mais de 30 cm de altura pelo meu biotipo? na loja que eu experimentei um e gostei a marca e de fabricação da propria loja e a garantia de um ano! sera uma boa escolha?? desde já grato pela atenção!

    Responder
    • Elvis:

      Paulo, sendo molas ensacadas e com mais de 30cm de altura, e se você experimentar e sentir o colchão confortável para você, então será uma boa compra.

      Responder
  • Rafael Matias:

    Boa tarde,

    Estamos em busca de um colchão novo, as pessoas que vão usa-lo tem bastante sobrepeso, devido a isso tem me surgido varias duvidas. Quando acesso os sites na descrição do colchão vem mostrando uma capacidade de peso. A minha duvida e a seguinte:
    Eu peso 101kg e a outra pessoa pesa 135kg, para comprar um colchão que suporte o nosso peso tenho que somar os nossos pesos e comprar um colchão que tenha a capacidade do peso a mais do que pesamos???
    Ex: 101 + 135 = 236kg – tenho que comprar um colchão que suporte 250kg??? Existe esse tipo de colchão???

    Aguardo retorno.

    Obrigado.

    Responder
  • Diana:

    Ola,
    Gostaria de comprar um colchao densidade 23 para a minha filha de 3 anos, mas estou com dificuldade de encontrar colchoes de boa qualidade nas lojas. A oferta é muito pequena e o revestimento geralmente é de poliester. Eu gostaria do maximo possivel de composicao de fibras naturais. É normal essa dificuldade? Qual seria a solucao?
    Obrigada

    Responder
    • Elvis:

      Dificilmente você vai encontrar colchão com tecido de fibra natural, porque as fibras sintéticas são muito mais duráveis e higiênicas (com o tempo esses tecidos naturais vão literalmente apodrecendo com o acúmulo de poeira, bactérias, suor, fungos, etc); as fibras sintéticas ainda são antichamas, proporcionam muito maior conforto térmico, e custam menos.

      Responder
  • luciana:

    oi estou precisando adquirir um colchão, porem estive olhando um de molas ensacadas,com 30 cm de altura, mas o vendedor disse que como sempre dormir em colcháo de espuma não vou me adaptar no de molas mito ou verdade?

    Responder
    • Elvis:

      Mito.

      É natural que haja uma fase de adaptação, uma vez que os colchões de mola e de espuma são estruturalmente muito diferentes. Mas o colchão de molas, regra geral, é mais confortável e adapta-se melhor às formas do corpo. Esta altura (30cm) é ideal, inclusive para suportar mais peso.

      Responder
  • Ana:

    Boa Tarde!
    Estou pesquisando um pillow top ou sobre colchão, mas fico na dúvida sobre a densidade e altura desse pillow top. Já vi pillow top de 7cm com densidade de D23 e de D30 e outros de 4cm de altura e D27. O que você acha?
    Quero colocar esse pillow top em meu colchão de molas que comprei há quatro meses. Percebi que a camada de espuma entre as molas e o tecido é bem fina. Porém desde que o comprei venho sentindo dores nas costas e agora também o meu esposo.
    Agradeço antecipadamente,

    Responder
    • Elvis:

      Ana.

      Infelizmente não podemos fazer uma escolha por você, pois tudo depende da percepção de conforto que você e seu marido terão do pillow top. Não há uma regra ou tabela a ser seguida, cada pessoa deseja um tipo de conforto, e por isso há tantas opções. Experimente antes de comprar e eleja o que for melhor para seu gosto.

      Responder
  • Felipe Pessoa:

    Élvis, boa tarde!
    Pretendo comprar um colchão de molas ensacadas sem a base. Em seu lugar, pretendo fazer um móvel de madeira como base. Há algum problema nisso? Alguma recomendação ou sugestão relativa às características dessa base?
    Em relação ao colchão, você considera que o sistema “no flip” é muito vantajoso?
    E o tratamento/função Anti-ácaro Anti-fungo Anti-Alérgico é algo que confere ao produto uma qualidade superior ou a validade desse tratamento tem prazo curto?
    Aguardo retorno e agradeço desde já!

    Responder
    • Elvis:

      Não tem problema nenhum em você construir seu móvel como achar melhor. Apenas sugiro que faça no mesmo padrão do box, com uma placa inteiriça para suportar o peso total do colchão, sem ripas vazadas (tipo estrado), que não são adequadas para o colchão, principalmente para o de molas.

      Quanto aos tratamentos que você citou, todos os colchões atualmente no mercado recebem este tratamento, e a durabilidade do tratamento é de cerca de seis a oito meses. Considere que é algo semelhante à dedetização de uma casa. Ou seja, sequer existe a possibilidade de algum colchão vir sem estes tratamentos. Mesmo mandando fazer o colchão sob medida, o tratamento químico já está impregnado na própria espuma e no tecido que a fábrica de colchões usa.

      Responder
  • Júlio:

    COMPREI DOIS CONJUNTOS CASTOR (BOX + COLCHÃO) SILVER STAR BAMBU SOLTEIRO (88X188X27), APESAR DE SER APRECIADOR DA MARCA E TAMBÉM ESTÁ SATISFEITO COM O PRODUTO ME DEPAREI COM UMA SITUAÇÃO INUSITADA, POIS NAS DIMENSÕES DO COLCHÃO CONSTA A INFORMAÇÃO DE ESPESSURA DE 27 CM, NO ENTANTO AO MEDIR O PRODUTO CONSTATEI APENAS 22 CM. A ASSISTÊNCIA DA CASTOR FOI EM MINHA RESIDENCIA E INFORMARAM QUE MINHA MEDIÇÃO ESTAVA ERRADA E QUE O CALCULO DEVERIA SER PELO CENTRO DO COLCHÃO, FIZERAM A MEDIÇÃO E OBTIVERAM O RESULTADO DE 24,5CM E INFORMARAM OCORREU “APENAS” A BAIXA 2 OU 3 CENTÍMETROS, É QUE ISTO É NORMAL APÓS O USO.
    MINHA DÚVIDA É:
    NORMAL A PERCA DE 3CM EM MENOS DE 3 MESES DE USO?

    Responder
    • Elvis:

      Você deve verificar as normas da ABNT que estão impressas no seu certificado de garantia.

      Responder
  • Catarina:

    ÓTIMO SITE!!!!
    Está de parabéns!!!
    Meu último colchão q comprei 2 anos atrás só me deu dor de cabeça, estava morrendo de medo de comprar um novo, estou pesquisando na internet já faz uma semana e não achava nada esclarecedor, agora fiz várias anotações e já me sinto mais segura para comprar.

    Responder
  • Suzana:

    Gostei muito das suas explicações. Tenho que comprar uma cama nova. Estou pensando em uma cama box, mas como uso colchão de caixa de madeira, gostaria de saber se ele pode ser usado em cima de uma cama box.

    Responder
    • Elvis:

      Sem problemas. A cama box foi desenvolvida para adequar-se a todos os tipos de colchão.

      Responder
  • Fatima:

    Olá, gostaria de saber se esses colchoes de bambu que prometem diminuir a temperatura em até 2 graus , realmente cumprem o prometido ?

    Responder
    • Elvis:

      Por favor leia o texto: Tecido de Fibra de Bambu.

      O que os fabricantes de tecidos informam é que realmente o tecido de viscose com fibra de bambu proporciona uma sensação térmica de até dois graus abaixo da temperatura ambiente.

      Responder
  • Evandro Temperini:

    Elvis, li todo o post, os comentários e suas respostas.
    Não poderia deixar de te elogiar pelo seu empenho.

    Além de ser o conteúdo mais útil que encontrei sobre o assunto, dá pra ver que você gosta muito do que faz e dá o seu melhor atendendo a todos.

    Obrigado pela atenção e parabéns.
    Sucesso e paz pra você.

    Responder
  • Geralda Silva:

    Achei muito útil as informações contidas neste site, parabéns pela iniciativa.

    Responder
  • Marcos Ricardo:

    Olá, Quero comprar um colchão para meu filho de 5 anos que pesa 20 kg. Posso comparar logo um D28 e assim quem sabe ter um vida útil maior.

    Responder
    • Elvis:

      O ideal seria um D23, que tem suporte até 50kg a 60kg.

      Considere também que a validade de um colchão é limitada pela garantia, embora na prática o colchão de espuma possa ser usado por aproximadamente três anos se for bem conservado, observando as melhores práticas em termos de higiene.

      Responder

Comente!